Ana Vieira Ribeiro

AnaVR

Subnigrum: silos
2021

Entendendo a realidade (a Verdade) como circunstancial e relativa a cada indíviduo que a perceciona e a cada ponto de vista informado – e não como algo uno e simples -, Ana Vieira Ribeiro, parte de espaços existentes, como a sua própria casa (série Viver todos os dias cansa), uma antiga estação ferroviária fronteiriça (série Subnigrumfronteira), ou – neste caso – um conjunto de Silos de cereais, de onde coleciona objetos encontrados e registos feitos no local.

Essa recolha, por sua vez, é fabulada e traduzida visualmente para as peças apresentadas, resultando em narrativas que mesclam os vestígios/presenças do passado com o que (a autora imagina que) cada espaço poderia ter sido ou poderá vir a ser, ficcionando as possibilidades ou os pontos de vista (im)possíveis (a)presentados.

Ler mais

 

Exposição

“da poetica naturam”, Casa das Artes de Tavira, 2021